< Back
Novembro 20, 2020

Como criar um currículo imbatível na área das Tecnologias de Informação

6 dicas para construíres um ótimo currículo e conquistares o teu próximo projeto de TI
currículoempregosTIitprojects

Escrito por:

Ricardo Veiga

Olá, Growinners* e futuros Growinners.

Como o título deste artigo indica, hoje estou aqui para dar pistas sobre uma peça fundamental da nossa vida profissional: o currículo.

Tenho a certeza de que já todos pensámos: “Tenho de atualizar o meu CV outra vez… que chatice!”.

Se pensares bem sobre o assunto, o currículo é o espelho da tua experiência. É neste documento que vais contar todas as metas que já alcançaste e o conhecimento que já adquiriste. Regra geral, é no CV que concentras os pontos mais importantes da tua vida profissional.

Assim, é tua obrigação – para contigo próprio(a) – dares o teu melhor quando estás a trabalhar neste documento.

A melhor parte deste artigo? Estou aqui precisamente para te ajudar nesta missão. Para te contextualizar um pouco, o meu nome é Ricardo Veiga e sou Talent Acquisition Specialist na Growin.

O que me motiva no meu trabalho é poder ajudar profissionais de Tecnologias de Informação – como tu – a darem o próximo passo na carreira, encontrando um projeto que vá ao encontro das tuas expetativas e motivações.

Ao longo da minha carreira, já fiz centenas de entrevistas e ajudei de profissionais de TI como tu a começar ou recomeçar as suas carreiras na Growin.

A primeira coisa que um Recrutador ou profissional de Recursos Humanos vai ver sobre ti é o teu CV. Assim sendo, vamos lá causar uma primeira boa impressão!

Antes de começar a escrever o CV

Antes de mergulharmos na informação prática sobre a estrutura e o conteúdo que o teu CV deve ter, vamos definir coisas importantes. Para isso, deves questionar-te sobre o seguinte:

1: Quero candidatar-me a uma empresa ou organização em específico ou quero fazer um CV genérico que pode ser aplicado a múltiplas situações?

Esta é uma questão muito importante, visto que é aqui que vais identificar quem vai ser o teu público-alvo. E, desta maneira, qual a melhor forma de comunicar com o mesmo.

2: Se é para uma empresa/organização em específico, como posso acrescentar valor à minha candidatura?

Por exemplo, se te estás a candidatar a uma empresa/organização em específico, procura e explora o seu website ou o perfil de alguns colaboradores no LinkedIn.

Verifica quais as frameworks e tecnologias com que trabalham e qual o perfil mais comum dos seus colaboradores. Destaca essa informação quando estiveres a construir o teu currículo – mas apenas se tiveres experiência com a framework/tecnologia em questão.

Imagina um cenário em que te estás a candidatar para uma posição de Backend Software Developer. A empresa pede que tenhas conhecimentos em Java e Spring. Se este é um know-how que tens, coloca logo nas primeiras linhas do teu CV algo deste género:

“Nos últimos 5 anos, tenho usado Java e Spring para construir e manter o backend de múltiplos produtos de empresas.”.

É prático, direto, inteligente e passa a mensagem de que sabes perfeitamente aquilo de que a empresa a que te estás a candidatar precisa. E, acima de tudo, que tens o que é preciso para conquistar a vaga.

As dicas que te vou dar mais abaixo também se podem aplicar a esta situação. Quanto mais personalizado o teu CV for à empresa/organização à qual te queres candidatar, melhor.

Se a tua abordagem ao mercado for mais genérica e te quiseres candidatar a várias empresas, segue as pistas que te deixo neste artigo. A empresa pode fazer-te mais perguntas depois de verem o teu CV, mas este já será um bom ponto de partida.

Escrever e construir o CV em TI

Qual é a estrutura ideal para o teu curriculum vitae?

Para te ajudar a construir um bom currículo, resumi o top 6 de informações que deves incluir no teu CV. Esta é uma possível maneira de estruturares o teu currículo:

1. Inclui Nome, Contactos, Local onde te encontras no momento e localizações de preferência para trabalhar.

2. Adiciona uma descrição (título da função) que achas que define quem és profissionalmente e quem queres ser (ex: Java Backend Developer ou Software Tester).

3. Quantifica a tua experiência profissional. Apesar de a formação ser algo importante, vamos focar-nos naquela que é a tua experiência prática.

4. Faz um pequeno resumo da tua experiência e principal motivação para projetos futuros. Destaca as tuas principais conquistas, áreas de negócio e tecnologias com as quais tens trabalhado. Adicionalmente, descreve o tipo de projetos de TI que procuras.

5. Descreve a tua experiência. Esta é a parte principal do teu currículo. Podes usar inúmeras variáveis. Por exemplo: tipo de projetos em que estás a trabalhar, incluindo uma descrição das tuas tarefas e tecnologias principais.

6. Inclui a Formação Académica e certificados.

Que conteúdo deves incluir no teu CV?

Em relação a cada um dos pontos que definimos anteriormente, aconselho-te a incluíres o seguinte na estrutura do teu CV.

Dica #1
Para começar, é mesmo necessário dares a tua informação pessoal. Nome, Localização e Contactos (email e telefone) são dados que devem estar no topo do teu CV. Afinal de contas, sem estas informações como é podes ser contactado(a)?

Dicas #2, #3 e #4
Este é o momento em que vais mostrar de uma forma muito simples e concreta a tua experiência profissional. Começa com uma descrição geral da função que ocupas atualmente (ex: Java Backend Developer) e depois de escreveres 6/7 linhas sobre a tua carreira, conta ao leitor o que já conquistaste e o que gostarias ainda de alcançar profissionalmente.

A tua formação académica também pode ser identificada. Depois disso, quantifica a tua experiência prática para dar ao Recrutador/Colaborador de RH uma ideia geral de há quanto tempo já estás no mercado das TI.

Aqui podes ainda considerar toda a tua experiência laboral em empregos de TI (projetos enquanto freelancer em clientes também contam). Por exemplo, se tiveres participado num concurso para desenvolver uma aplicação que depois foi utilizada, põe isso no papel.

Dica #5
Este o ex-líbris do teu currículo. Começa por identificar todas as empresas para as quais já trabalhaste.

Se já fizeste inúmeros projetos freelance, podes colocá-los nesta secção ou criar uma nova secção depois só para esse tipo de projetos. Escolhe sempre aqueles que consideras serem mais importantes para a tua carreira.

Depois de identificares a empresa, a data de início e fim, e o cargo que lá ocupaste, podem fazer-te as seguintes questões:

“Em que tarefas investiste mais tempo?” ou “Quais são as ações que impactaram mais o projeto enquanto estavas a desempenhar esta função?”

As respostas a estas questões vão ser as informações que vais colocar depois da identificação da empresa.

Deves ainda destacar as principais tarefas que executaste e as tuas conquistas mais importantes. Por exemplo:

“O objetivo do projeto era desenvolver o Frontend da nova aplicação web de um banco. Estive numa equipa com 5 developers (2 de Frontend), com um programador júnior sob a minha responsabilidade.

Nos primeiros 5 meses do projeto, fiz programação principalmente com HTML, CSS, Vanilla JavaScript, Bootstrap e Angular5. As minhas principais tarefas eram desenvolver as interfaces visuais de uma aplicação que construímos do zero e dar apoio ao programador júnior.

Usámos Scrum para as nossas reuniões diárias, tínhamos sprints de 15 dias e cumpríamos com todas as outras entregas. Acabámos o projeto antes do tempo previsto e depois disso fizemos um trabalho de manutenção da aplicação nos 3 meses seguintes em que lá estive”.

Este é um exemplo muito simples de informação que um IT Recruiter espera encontrar no teu CV: simples, concreto e fácil de acompanhar. Na entrevista, todos os detalhes e informações adicionais podem ser dadas!

Dica #6
Aqui deves identificar todo o teu histórico de formação académica relevante. Fica aqui um exemplo de como podes apresentar a informação:

Universidade de Coimbra | Escola de Engenharia | Licenciatura em Ciência Computacional | 2008-2011. (nota final do curso opcional).
ou
Academia de Código | Formação de Java | 2019

Por último, mas não menos importante...

Obrigado por chegares até ao final deste artigo. 😊

Significa que estás empenhado(a) em tornar a tua procura de trabalho mais eficaz e, acima de tudo, as tuas probabilidades de encontrares o emprego de TI que queres.

Este artigo não é perfeito nem consensual. É um contributo para ajudar todos aqueles que desejam ter um CV mais competitivo, distinguindo-se de outros candidatos. E que querem aumentar as suas hipóteses de conseguir entrevistas.

Como ser bem sucedido(a) numa entrevista de emprego?
Vê aqui 5 dicas para seres um expert em entrevistas online.

Agora é o momento para te pedir algo… feedback. Há outras informações que consideras serem importantes para o teu currículo? Partilha connosco. Leste este artigo, puseste em prática os conselhos e conseguiste uma entrevista? Excelente! Queremos saber tudo.

Falamos em breve? Desejamos-te o melhor. Mantém-te em segurança!

*Growinners é o nome que damos aos colaboradores da Growin.

Sobre o Autor

Ricardo Veiga, Talent Acquisition Specialist

Tenho 27 anos, sou natural de Lavra mas agora resido na Maia, Porto. Invicta está no meu coração. Estudante para a vida, tenho sede de conhecimento, e esse é meu grande “drive”! Política, Filosofia, Europa de Leste e The Doors são algumas das coisas presentes na minha vida.

– – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – – –

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


×

Hello!

Click below to speak to one of our team members.

× How can we help?